Espatódea


Olá!
Fim de ano letivo chegando e todo mundo feliz...ou estudando muito, né?
Hoje passei para falar sobre uma espécie em especial...espatódea.
Nome Científico: Spathodea campanulata
Nome Popular: Tulipeira, espatódea, bisnagueira, árvore-de-tulipas
Família: Bignoniaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: África Central
A tulipeira é uma árvore de crescimento rápido e efeito muito ornamental. Seu porte é médio, podendo atingir 24 metros. Na África, seu local de origem, pode-se observar exemplares com até 30 metros de altura. O tronco apresenta um diâmetro de 30 a 50 cm, a madeira é clara e mole e a casca fina e suberosa. As folhas são grandes, opostas e são compostas por numerosos folíolos (4 a 19) alongados e oval-lanceolados.
A primeira floração ocorre quando a árvore apresenta apenas 3 a 4 anos. As flores são vermelho-alaranjadas ou amarelas, de acordo com a variedade e surgem de inflorescências terminais, com botões numerosos que abrem-se sucessivamente, garantindo uma longa floração. O período de floração varia com a localidade onde a planta se encontra. Os frutos se assemelham a vagens e contém numerosas sementes aladas, que se dispersam com o vento.
A tulipeira é uma árvore de copa densa e muito rústica, indicada para espaços que requerem árvores de rápido crescimento, como em locais erodidos, parques e jardins públicos. Não devem ser plantadas em calçadas ou próximas à construções e tubulações, pois suas raízes são muito agressivas. Sua beleza é evidenciada quando plantada isolada em extensos gramados bem cuidados. Apesar de as flores atrairem abelhas e beija-flores, elas são consideradas venenosas para estes e outros animais, por possuirem alcalóides tóxicos.
Devem ser cultivadas sob sol pleno, em solo fértil, bem drenado, e enriquecido com matéria orgânica. Árvore tipicamente tropical, não se adapta a países de clima frio. Multiplica-se por sementes e estacas que germinam com facilidade. Devido à sua grande capacidade reprodutiva, a tulipeira pode tornar-se invasiva em determinadas situações.
(Fonte: jardineiro.net)
Bom, agora que já sabem um pouco mais dessa espécie, escolham outra árvore para plantar. Apesar da sua beleza, ñ vale a pena envenenarmos os bichinhos, né?
Suas flores possuem alcalóides tóxicos que causam alucinações aos seres humanos, sendo letais para as abelhas possivelmente, aos beija-flores, que buscam seu néctar para a produção de mel e como alimento, causando assim grandes malefícios à nossa fauna.
A substituição das árvores existentes por espécies nativas que não causem mal às nossas abelhas e aos nossos beija-flores virá contribuir para que não exista desequilíbrio na natureza, com a preservação destas espécies.
E para completar, tem uma música com esse nome que eu adoro. Acordo com ela todos os dias.

O Nando Reis fez essa música pra sua filha Zoé, concordo com ele, pois meu mundo tbém ñ teria razão se ñ fossem o Luan e o Lucca. Não rimou...mas é verdadeiro.
Bom fim de semana para vcs!
Camila

8 comentários:

Cris Oliveira disse...

que flor lindaaa, Cami. E essa música.. amooooo!!!
brigadaaaa! ;)
beijao!

Cláu Ak disse...

Nossa, quanta informação bacana, Cami!!! Adorei.
Eu gosto muito dessa música. Aliás, adooooro Nando Reis.

Beijocas

Natureza e Paz disse...

Olá!
Gostei de conhcer o seu blog.
Parabéns.
Abs
Carlos

Anônimo disse...

meu Deus...hoje chegou duas mudas de espatodea na minha casa...encomendei porque achei a flor muito linda1mas,n conhecia nada sobre ela...moro em sitio...que pena fiquei triste com o que eu li...se puder entre em contato comigo pelo email...andreia.nati@hotmail.com...grata.

Bob disse...

Amei seu blog, parabéns!
Por acaso estava lendo a letra do Nando Reis "Espatódea" e resolvi pesquisar...
Cresci num lugar cheio de árvores floríferas e quando vi a foto me veio a maior nostalgia, já conhecia essa árvore mas não sabia o nome.
Não sei se me enquadro nas estatísticas de pessoas "normais", mas costumo armazenar e plantar sementes de quase tudo o que eu como. Tenho uma mini horta e um mini pomar em vasos, pois moro em apartamento.
Por falta de espaço, costumo presentear pessoas amigas que tem a mesma sintonia:o respeito pela natureza e pela vida.

Sei que em breve haverá uma expansão de consciência numa escala maior do que nos dias atuais, mas não sei se estarei ainda aqui neste planeta,porque nada dura para sempre...Então, a cada dia faço modestamente a minha parte .



Abraço!

Mutante

Carolina disse...

Estive lendo mais a respeito dessa linda espécie.
Só corrigindo uma informação, o néctar por ela liberado mata apenas abelhas. Seguidamente, em seu texto, vc diz a respeito de trocar as árvores por espécies nativas. Podes me informar qual que é essa espécie?? Fiquei curiosa a respeito.

Me presponde ok?
Meu blog é carolinavozdobox.blogspot.com

Muito Obrigada!

João Flávio disse...

Camila...
Primeiramente parabéns pelo blog...
Sou Estudante de Engenharia Florestal, Passei boa parte da minha infância brincando com esta planta.. Na minha cidade a espatódea também é conheciada como mijo de gato ( é isso memsmo! rsrsr) fazendo alusão ao líquido que sai do botão floral quando é pressionado... era uma brincadeira e tanto... No entanto quando cheguei a Universidade recebi a informação que esta espécie apresenta certa toxidez para insetos e até mesmo para alguns vertebrados... No entando os estudos sobre este assunto são escassos. Pesquisando encontrei seu Blog, e gostaria de saber se Você conhece algum trabalho científico que comprove este fato, ou a Bibliografia utilizada.
Desde já Muito Obrigado.
Abraços.

Camila disse...

João Flávio, em primeiro lugar, obrigada pela visita.
Qto a espatódea, ñ tenho conhecimento de nenhum trabalho científico à respeito. Pelo que pesquisei, ñ há evidencias claras que sua toxidade pode ser fatal aos pássaros, mas tbém, ñ há evidências que provem o contrário. Para as abelhas, os estudos são mais contundentes.
Vou me informar melhor com um botânico e qquer novidade, publico aqui.
Obrigada,
Camila

Postar um comentário